Pesquisas registradas para presidente têm custo de R$ 34 mi

Contando apenas as pesquisas de intenção de voto para presidente no primeiro turno, os institutos e empresas do ramo registraram a prestação de R$ 34.367.829,70 em serviços. Foram 514 levantamentos cadastrados com data de realização entre o começo de 2018 e o primeiro turno das eleições, em 7 de outubro.

Só podem ser publicados resultados de pesquisas registradas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cinco dias antes da divulgação do levantamento. É necessário informar o valor do serviço, o contratante e outros dados, que ficam disponíveis em uma plataforma on-line. Os dados sobre as pesquisas foram baixados do site do Tribunal.

Além desses estudos registrados, em época eleição são comuns pesquisas sem registro, que não podem ser divulgadas. Elas são usados, por exemplo, por candidatos. De posse dos dados coletados, os políticos podem orientar melhor suas campanhas, informa o Terra.

Os registros

Os institutos informaram ao TSE que fariam 805.088 entrevistas para os levantamentos desse período. Métodos e abrangência são bastante diversos. Há critérios estatísticos para deixar o perfil de um grupo de entrevistados similar ao do eleitorado total.

A pesquisa mais cara registrada foi do Datafolha: R$ 549.440,00. O instituto aborda os entrevistados presencialmente.

O levantamento foi contratado pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo. Algumas pesquisas, porém, são feitas por iniciativa do próprio instituto.

O registro com valor mais baixo teve custo declarado no período de R$ 1, mas não se tratou de uma pesquisa. Foi uma ação de simulação de eleição em escolas de Goiás, de acordo com a plataforma do TSE.

Os levantamentos mais baratos no período custaram R$ 1.000. Foram três com esse preço. Um deles, contratado pelo Jornal do Povo, foi feito por uma empresa chamada Casa Brasil Editores, do mesmo grupo do jornal.

Consistia em 300 entrevistas presenciais perguntando intenção de voto e rejeição a candidatos a presidente. O levantamento foi restrito aos eleitores de Cachoeira do Sul (RS), onde fica o jornal.

Além de entrevistas presenciais, há quem faça pesquisa por telefone, por exemplo. Nesses casos, o processo pode ser automatizado e fica mais barato.

De acordo com os dados do TSE, o instituto com o maior valor em serviços prestados foi o Ibope, disparado com R$ 14.788.187,60. Depois, vem o Datafolha, com R$ 4.551.880. São os principais institutos do país.

A reportagem computou apenas as pesquisas de intenção de voto para presidente, independentemente da abrangência: pode ser nacional, estadual, circunscrita a um município ou dentro de qualquer outra população delimitada. Os levantamentos de intenção de voto para governador e outros cargos não foram incluídos.

Como alguns institutos fazem pesquisas por conta própria, essas cifras não significam necessariamente faturamento.

Além disso, é possível cancelar registros antes da realização do levantamento. O Datafolha, por exemplo, cancelou cadastro de pesquisa após o TSE negar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deixando obsoleto o questionário inicialmente planejado pela empresa.

O próprio Tribunal removeu esse registro de sua base de dados, mas até a publicação deste texto não respondeu se pode haver alguma outra pesquisa cancelada entre as informações disponíveis.

Na produção deste texto, o Terra encontrou 44 registros duplicados, totalizando 88 levantamentos. A maior parte era de duplicatas das mesmas pesquisas contratadas por duas empresas em conjunto. O Tribunal foi contactado, mas não respondeu se é gerado um código para cada contratante.

Para somar os valores mencionados neste texto, a reportagem excluiu manualmente as duplicatas. Havia, porém, 9 códigos vinculados a duas pesquisas diferentes. Nesses casos, nenhuma foi excluída.

Também foi perguntado ao TSE o motivo dessa dupla vinculação a um mesmo registro, mas não houve resposta até a publicação deste texto. De acordo com assessores do Tribunal que falaram com Terra por telefone, a equipe do órgão está com dificuldades para atender a todas as demanas nesse período eleitoral.

22/10/2018