Aparelho de academia tem mais bactérias que vaso sanitário, indica estudo

Quando pensamos em treino uma das primeiras coisas que nos vem à cabeça é saúde, não é mesmo? O problema, contudo, é que um estudo concluiu que a academia tem mais bactérias que um vaso sanitário. Isso, é claro, não é nem um pouco saudável!

Com o objetivo de entender o risco de infecções dentro desses locais, o site norte-americano FitRated junto com o laboratório EmLab P&K testaram 27 equipamentos de três academias. A pesquisa incluiu esteiras, bicicletas ergométricas e halteres, diz o Terra.

Foram encontrados diversos tipos de bactérias, entre elas as Staphylococcus – causa mais comum de problemas de pele, pneumonia e septicemia. As amostras apontaram também a presença de bastonetes gram-negativas. Esse tipo de microrganismo pode ser resistente aos antibióticos e tem como exemplo a salmonella, causadora da febre tifóide. O terceiro tipo de bactérias encontrado foi as bastonetes gram-positivas, que em geral não é tão prejudicial à saúde.

Bactérias em números

Os halteres saíram na frente na lista de aparelhos mais contaminados: cada um deles possui 362 vezes mais bactérias do que um vaso sanitário.

Os testes indicaram também que a bicicleta ergométrica tem cerca de 39 vezes mais microrganismos que uma bandeja de praças de alimentação. Já as esteiras, considerando botões do painel e apoios, têm 74 vezes mais bactérias do que uma torneira de banheiro público.

Depois de ver esses números, certamente você começará a andar com o álcool em gel na bolsa para o pós-treino.

10/07/2018